segunda-feira, 29 de março de 2010

Encontre a dieta ideal


1. Nunca copie a dieta de suas amigas ou da sua irmã. A que é adequada para elas pode não ser para você. 

2. Procure a ajuda de um psicólogo sempre que os problemas emocionais, tais como depressão e ansiedade, atrapalharem os resultados da dieta. A terapia pode ser muito útil para conter a compulsão alimentar.

3. Se o problema for a falta de tempo para preparar os pratos certos para a dieta, que tal pedir kits prontos de comida congelada? Pode ser uma ótima pedida quando o ponteiro da balança estacionar ou até mesmo para iniciar a dieta.

4. Você não consegue deixar de comer pão? Acha impossível eliminar de vez essa delícia do seu cardápio? Procure optar pelas versões 100% integrais.

5. Passar fome é sinal de emagrecimento rápido, certo? Errado. Quem come mais vezes, emagrece mais. Quando o corpo percebe que vai passar por privação, entra no modo econômico e, em vez de lhe ajudar a gastar calorias, as acumula no organismo.

6. Leia bastante sobre o assunto. Procure revistas, livros, sites e blogs especializados em dieta. A informação é peça fundamental para seguir de forma segura o seu projeto de perda de peso.

7. Não fique obcecada apenas nos números da balança. Fique ligada também nos benefícios que a dieta traz para sua pele, disposição e digestão.

8. Não corte totalmente as gorduras. As do tipo saudável são necessárias para regular a liberação de hormônios que agem na saciedade. Portanto, não abandone completamente as castanhas, amêndoas, açaí, abacate e azeite.

9. Fuja dos produtos industrializados, que contêm aditivos químicos que dificultam o emagrecimento. Dê sempre preferência a produtos naturais.

10. Se nenhuma tentativa de emagrecimento deu certo, é hora de procurar um nutricionista. Ele te ajudará a escolher o cardápio adequado para o alcance de sua meta.

11. Busque algo duradouro. Opte por uma disciplina alimentar de fácil manutenção, que você conseguirá seguir com facilidade por toda a vida. Evite as dietas da moda para não correr o risco de recuperar mais tarde os quilos perdidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta aí!