quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Pijama de Oncinha

Eu estava limpando meu guarda roupas quando me deparei com um antigo pijama de oncinha, que eu comprei quando meu manequim ainda era o 38 (sim, eu usava 38 há um ano e meio atrás). Meu marido - que na época era só namorado - adorava, apesar de eu poucas vezes tê-lo usado. É daquele tipo de pijama super sensual, mas extremamente desconfortável, que faz a gente ter vontade de trocar por um camisolão velho no meio da noite.  

Mas, desconfortável ou não, hoje me bateu uma saudade danada de usá-lo. Passei um bom tempo olhando pra ele em cima da cama, imaginando o que eu fiz de errado para que eu voltasse à estaca zero e o quanto eu teria que batalhar para voltar a caber nele. Lembrei da minha alegria quando eu comprei pela primeira vez um baby doll tamanho P e senti todo o esforço que eu coloquei a perder sendo ali, esfregado na minha cara. Sei que esses dias eu estou meio doida ou coisa assim, mas eu chorei muito, pois naquele momento - e só ali - a minha ficha caiu. Nada me abalava tanto a ponto de me fazer querer mudar, nem as roupas não darem em mim, já que eu também tenho roupas de gorda, nem a opinião das pessoas, pois ninguém me dizia nada diretamente. Foi aquele baby doll que, de uma forma ou de outra, me fez querer ser uma pessoa melhor, ou pelo menos, voltar a ser quem eu era.

Não sei se faz sentido. Aliás, eu nem acredito que acabei de escrever um post inteiro sobre um baby doll de oncinha...

Um comentário:

  1. Oiii

    Lindo o baby doll!

    E pode ser um grande aliado na sua luta...se vc quer vc vai entrar nele denovo!

    Vc é capaz!

    Força ai!

    Beijosss

    ResponderExcluir

Comenta aí!