sábado, 29 de janeiro de 2011

Casal perfeito existe?



Acabei de ver uma foto do casal Luciano Huck e Angélica na capa da revista Veja desse mês, com o título de casal perfeito da televisão brasileira. Em um mundo onde os casamentos de celebridades não duram mais que alguns meses, eles são um exemplo de união sólida e duradoura, com dois filhos lindos e muita felicidade. Devo ser um ser humano horroroso, pois quando eu olho para os dois, não consigo evitar de me perguntar... será?

Eu deixei de acreditar em casais perfeitos quando eu me casei. A maioria das pessoas não entende esse meu ponto de vista, pois pensam que eu só digo isso porque sou uma pessoa infeliz e meu casamento é um fracasso. Mas as coisas não são bem assim. Eu amo meu marido e sei que a recíproca é verdadeira - mas estamos longe de ser um casal perfeito. Na maior parte do tempo, somos pessoas totalmente diferentes até nas pequenas coisas. Ele gosta de dormir agarradinho e eu preciso ter espaço na cama. Eu detesto andar de mão dada e ele adora. Sou grossa e ele é sensível. Adoro internet e ele odeia. 

Muitas coisas nos separam, mas mesmo assim, queremos ficar juntos. Pra mim, isso sim é amor. A pessoa te deixa louca, mas mesmo assim, você não imagina a vida sem ela. Ser feliz num casamento perfeito é muito fácil, e deve ser também muito entendiante. O bom são as diferenças, que nos impulsionam a superá-las ficando cada vez mais juntos. Vocês não acham?

Eu indico!!!


Gente, vocês têm que ler esse blog. É da querida Madre Madalena da Santíssima RA. Recomendo para quem, assim como eu, precisa de muita oração para alcançar seus objetivos. Beijos!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Bullying Familiar



Eu estava lendo o blog da Akasha e me deparei com um post muito interessante, em que ela fala sobre o bullying e relata uma experiência muito chata com um tio sem noção. Enquanto eu lia, me lembrava de todas as situações semelhantes que já enfrentei na vida. Eu fui uma criança e adolescente gordinha, enfrentei muitas dificuldades na escola com as brincadeiras inapropriadas dos meus "colegas" de turma, mas nenhuma delas me doía tanto quanto às que algumas pessoas da minha família faziam comigo. Foi aí que me ocorreu que o pior tipo de bullying ocorre dentro de nossa própria família. As pessoas tendem a pensar que, por serem nossos parentes, podem nos dizer o que quiserem e que não devemos ficar chateadas. Não sei quanto a vocês, mas na minha família é assim que funciona. E eles nunca estão satisfeitos; se você está gorda, precisa emagrecer porque está horrorosa. Se está magra, está doente. Não vou nem aconselhar a não ligar, porque nem eu mesma consigo ficar imune a esse tipo de situação. Eu só aprendi a reagir melhor. Ao invés de correr pro quarto e chorar, eu solto uma boa resposta com um sorriso no rosto, para não parecer rude. Se você não consegue, aí vão algumas sugestões:

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

À você, que acha que me atinge



"Aprendi que tudo passa, tomando chá ou cachaça
Tomando champanhe ou não.
Aprendi que a descrença, a desconfiança e a doença
São partes da maldição.
Aprendi que a ignorância, a sordidez e a ganância
São lavas desse vulcão.
Aprendi que essa fumaça
A minha janela embaça
Por fora, por dentro não".

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Mais um selinho!


Tá bom, eu admito, esse selinho eu não ganhei, eu roubei do blog da minha querida Akasha. Acredito que ela não vá se importar (espero!).

A regra é falar 10 coisas sobre mim mesma. Então vou falar coisas que talvez pouca gente saiba. Vamos lá;

1. Eu sou muito, muito, muuuuito fã do Johnny Depp e odeio quando as pessoas escrevem Johnny Deep. :)
2. Morro de nojo de banana, até do cheiro, e não gosto nem que comam perto de mim.
3. Gosto de tomar banho ouvindo música clássica.
4. Adoro internet e, se não estou trabalhando, chego a passar 12 horas conectada.
5. Sou colecionadora fanática de canetas e sabonetes.
6. Morro de medo de tirar extrato e rezo um pai nosso a caminho do banco (juro).
7. Sou alérgica a tomates e a tudo que tem licopeno.
8. Sou portadora de psoríase há mais ou menos dez anos e vivo muito bem com ela.
9. Meu grande sonho é ser policial federal (um dia eu chego lá).
10. Sou fã de filmes de ação e não gosto de comédia romântica.

Ps - Fran, se você ainda não tiver, sinta-se selada. Bjinhos!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Macarrão light gelado


Peguei essa receita no site da Cyberdiet (que eu recomendo muito, aliás). Fiz e todo mundo aprovou. Só um pequeno detalhe; não servi gelado, mas quentinho, porque eu odeio comida fria. Aí vai a receita pra quem quiser provar!


Ingredientes

- 300 g de macarrão de sua preferência
- 1 dente de alho amassado
- sal e pimenta a gosto
- hortelã fresca a gosto picada
- 1 colher (sopa) de azeite de oliva
- suco de 1/2 limão
- 200 g de presunto picado em tiras
- folhas de alface picada em tiras
- 1 xícara (chá) de creme de leite light


Modo de Preparo
Cozinhe a massa al dente e reserve. Prepare o molho misturando o alho, sal, pimenta, hortelã, azeite de oliva, limão e o presunto. Escorra a massa e, ainda quente, coloque-a neste molho, misture bem e acrescente o creme de leite. Leve à geladeira coberta com alumínio até a hora de servir. Coloque numa saladeira e misture a alface picada.



1 porção = 3 colheres (sopa) = 150 g
número de porções = 6

Valor nutricional e calórico por porção


calorias = 296 kcal
carboidratos = 39.8 g
proteínas = 12.2 g
lipídios = 9.8 g

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Eu confesso...


Gente, preciso confessar uma coisa. E não confessei ainda porque estava com muita vergonha, por isso eu estava meio afastada do blog. Mas a verdade é que o ano de 2011 só começou hoje pra mim. Muitas coisas aconteceram nestas duas primeiras semanas, mas só agora eu acordei e vi que é hora de colocar minha teoria em prática, ou eu vou ver novamente minha lista de realizações nem sair do papel.

Alguns pequenos passos já foram dados. Fiz a pré-matrícula na pós graduação, que deve iniciar dia 21 de fevereiro. Mas a dieta, confesso, até então estava estagnada.

No sábado à noite, passei muito, muito mal. Misturei muita coisa e resultou em uma dor de barriga daquelas. Acordei no domingo com uma vontade danada de mudar de vida. Para completar, vi minhas cunhadas lindas e vários quilos mais magras. Na boa, não rolou inveja, mas bateu aquela pergunta: "porque elas conseguiram e eu não?".

A resposta eu já sei. Não tenho autocontrole, nem força de vontade ou semancol mesmo. Tudo está me faltando. Incrível como a gente precisa de um choque de realidade para acordar e ver que a vida está passando enquanto a gente deixa nossos problemas para amanhã.

Hoje eu já comecei a fazer muita coisa diferente. Estou anotando tudo que como, comecei a fazer ginástica, deixei de beber refrigerante e bebida alcoólica, estou comendo pão integral e deixei de comer no trabalho - agora eu levo meu lanchinho de casa. Meu maior desafio é manter, primeiramente, até o final da semana, o fim do mês... vamos ver se dessa vez eu consigo.

Ps - No trabalho, tudo maravilha. Fui chamada para ser Diretora de Turma no próximo ano letivo. Mais trabalho, mas também sinal de que estou fazendo algo certo!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Resoluções de Ano Novo


Uma das coisas que eu mais gosto nessa época de começo de ano é fazer minha lista de resoluções e comparar com a do ano passado, ver se eu realmente consegui colocar alguma coisa em prática. A verdade é que muitas de minhas metas de ano novo vêm se arrastando por, no mínimo, 5 listas. É que eu sou uma procrastinadora de carteirinha, e costumo empurrar com a barriga coisas que eu considero que posso fazer a qualquer momento. O problema é que esse momento nunca chega e acaba ficando como resolução pro ano seguinte.

Esse ano quero fazer diferente. Tenho poucas metas, bastante realistas e fáceis de serem executadas por uma pessoa acomodada como eu. Ei-las:

1. Emagrecer 15 quilos até o final do ano.

2. Começar minha pós graduação em Gestão Escolar.

3. Viajar mais.

4. Reiniciar meu curso de francês.

5. Entrar em uma academia (E não sair, ficar por lá, #peloamor)

6. Ler mais.

7. Ver mais filmes novos, ir ao cinema com mais frequência.

8. Fazer as pazes com a religião, frequentar mais minha igreja, ser dizimista.

9. Não descuidar mais da minha aparência.

10. Cumprir, ao menos, a metade dessas resoluções...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Início de ano


Ontem, dia 6 de janeiro, foi meu aniversário. Fiz 26 anos. Incrível como o ano só parece começar pra mim depois desse acontecimento. E, como vocês podem ver pela foto... o negócio foi difícil, gente, não vou mentir. Mas deu para segurar a onda um pouquinho. Tanta gente especial veio me ver, que ficou difícil beliscar alguma coisa. Concentrei-me nas pessoas, e me esqueci da comida.

Segunda feira eu prometo que volta tudo ao normal. Essa semana foi meio preguiçosa mesmo. Cheguei de viagem na segunda feira e a minha escola estava em Semana Cultural. Além disso,  meu marido está em casa. Assim fica mesmo difícil voltar a rotina, mas já estou me sentindo pronta para 2011. Até estou trabalhando na minha lista de realizações, vou colocá-la aqui assim que eu terminar. Pode ser que assim, com a ajuda de vocês, eu me sinta mais motivada a cumpri-las.

Um beijo e um excelente fim de semana.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Como foi seu reveillón?



Gente, peço mil desculpas pela demora em escrever alguma coisa, mas é que esse post tinha que ser especial. Por isso, eu sentei, pensei, formulei e reformulei e até fiz um rascunho num papel (coisa que não fazia há anos). Depois joguei tudo fora e resolvi ser espontânea, que é mais sincero. 

Como eu falei para vocês, fui passar a virada de ano em Goiânia, na casa do meu irmão. Foi o primeiro reveillón - e me arrisco a dizer até data comemorativa - que passei junto a meus irmãos, o que foi muito importante pra mim. Eu sempre achei que nós éramos meio afastados, mas não acho que havia um motivo específico. A vida nos levou a isso, fomos criados em lugares diferentes, com mães diferentes e costumes diferentes. O tempo, então, fez apenas seu papel de consolidar as coisas.

Com a morte do meu pai e com o meu casamento, nós nos aproximamos.  Eles me ajudaram a superar esses dois momentos marcantes em minha vida; com certeza, não por acaso, o pior e o melhor. Enfim, a verdade é que fomos nos conhecendo melhor e nos amando ainda mais, não só por sermos irmãos e termos o mesmo sangue (que parece um amor por obrigação), mas por ver que tínhamos afinidades. Meu marido também foi bem recebido na família e é tratado por eles como um verdadeiro irmão, e foi aí que os laços se estreitaram ainda mais.

Pra ser sucinta, um dos momentos mais marcantes da viagem foi a hora dos agradecimentos, um pouco antes da virada do ano. Quando chegou minha hora de falar, eu, como sempre, travei e não consegui falar nada que eu queria, mas eu já estou me acostumando a esse meu jeito de só saber me expressar escrevendo. Então, eis aqui minha segunda chance. Meus irmãos, e a quem interessar possa, eis aqui o que eu queria ter falado naquela noite e não pude:

Primeiramente, eu quero agradecer a Deus, por ter permitido que esse momento acontecesse, pois só Ele sabe a hora certa das coisas. Segundo, a meu pai, que tenho certeza de que está muito feliz nos vendo todos juntos. Depois, ao Dennis e a Neyla, por terem nos recebido tão bem em sua casa, assim como pelas pequenas coisas, como a mesa de café da manhã, o quarto aconchegante, os passeios, a paciência, o pit dog de madrugada e, claro, o rocambole de carne. Dona Alda, sobretudo pelo carinho. Ao Marcelo e a Beth, que também nos receberam muito bem e nos presentearam com um belo almoço, nos cederam o próprio quarto para que a gente dormisse e nos fez sentir muito amados. Ao Ramon e a Alessandra, um casal abençoado por Deus. Quase morri de rir com essa minha cunhada, e eu pensava que era a mais engraçada da família. À Mônica, sempre um doce e à Diana, que fez quase que um banquete para nos receber em Brasília. Enfim, é muita coisa para falar e muita gente para agradecer. Correndo o risco de ser repetitiva, vou fechar meu texto com a mesma frase que finalizou o meu breve discurso -  Todos vocês, tanto os que eu já conhecia quanto os que passei a conhecer agora, estão guardados em meu coração. 

Sabendo que isso não é um adeus, mas apenas um até logo, deixo um beijo, e um feliz 2011. :)