quarta-feira, 28 de setembro de 2011

De bem com a vida

Gente, sei que fiquei devendo a vocês o final da história do post anterior. A má notícia é que peguei uma gripe horrorosa e tô sem ânimo pra nada - eis a explicação do sumiço. A notícia boa é que eu emagreci, sim. Saí dos 80 quilos novamente, espero eu que dessa vez para nunca mais voltar. Amanhã é dia de pesagem de novo e espero ter perdido mais ainda, já que venho seguindo rigorosamente s instruções da minha nutricionista. É aguardar para ver, mas acho que está dando certo. Lá no trabalho todo mundo está comentando que emagreci bastante e percebi que já diminuí um número do meu manequim (deixei as calças tamanho 46 para trás - ebaaaaaaaa!). As blusas tamanho G estão ficando larguinhas e até minha aliança agora anda dançando no meu dedo. Essa é uma das melhores sensações quando se faz dieta; a de dever cumprido, a de que todo o seu esforço não está sendo em vão. Era só isso que eu queria! E agora nada mais me segura. 50 quilos, manequim 38: segura aí que eu tô chegando.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Resumo da semana

Essa semana foi bem agitada. Na quinta feira, foi a missa de formatura do marido de minha cunhada. Até que não foi muito difícil encontrar uma roupa, apesar de eu ainda ter sentido que algumas continuavam apertadas. Comi um sanduíche natural antes de sair e, assim que a missa terminou, todos foram a uma churrascaria, mas eu convenci meu marido a se despedir por lá mesmo e fomos pra casa. A sensação de ter resistido a essa tentação foi muito boa, e o fato de eu estar conseguindo seguir a risca o que minha endocrinologista prescreveu, melhor ainda.
Sábado eu não quis ficar em casa. Resolvemos ir a um show de flash-back, jantamos em casa mesmo antes de sair e chegamos lá por volta das 10 horas. De cara, tentação por todos os lados: bebidas, cachorro quente (que eu adoro), salgados, pratinhos típicos. Entramos sem comer nada, mas assim que entrávamos umas moças estavam servindo bebida de graça. Recebi, para não ser indelicada, mas não bebi - cedi ao CH.
Enfim, fiz o que já estava com vontade de fazer há anos - dancei a noite inteira. Saí de lá suada, com o cabelo assanhado e os pés doloridos. Fiquei só na água mineral mesmo, e juro que não senti fome nem  mesmo quando cheguei em casa, às 4 da manhã. Mesmo assim, tomei  um iogurte light e fui dormir - só fui acordar às 2 horas da tarde de domingo. Fim de semana maravilhoso! Prova de que não é preciso que a gente se isole do mundo quando está de dieta. Dá pra se divertir do mesmo jeito - com o benefício de não voltar pra casa com peso na consciência.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Encarando a realidade

Hoje estou meio deprê. Até faltei a minha pós graduação, por simples falta de vontade de sair de casa. Eis o que houve. Fui à minha endocrinologista pela manhã, crente que ia estar com muitos quilos a menos e que, por conta disso, ela iria se derreter em elogios a mim. Quebrei a cara. Não emagreci um grama sequer, da semana passada pra cá. Ela me receitou um remédio para me auxiliar na perda de peso e me deu alguns direcionamentos para me alimentar melhor. Saí de lá cabisbaixa. Tudo bem, não tenho sido perfeita, admito. Mas tenho me esforçado. Acredito que merecia 200g a menos, no mínimo, só para não perder a vontade de ir em frente. Como eu já disse antes, está mais difícil do que nunca. Se eu não fizer ginástica, sair da dieta nem que seja um pouquinho no fim de semana ou cometer um leve pecado, já é motivo para que a balança continue estagnada. Enfim, estou com retorno marcado para daqui a um mês. Vou tomar o remédio que ela me prescreveu, comer menos arroz, não ingerir líquidos durante as refeições (a não ser que seja limonada), encher meu prato de verdura, comer duas porções de fruta, fazer ginástica o máximo de dias possíveis, passar o fim de semana batido, abandonar doces e refrigerantes em geral, esquecer bebidas alcoólicas, reduzir a quantidade de queijo, ou seja, vou praticamente viver para a RA e AF esse mês. Mas, com toda a sinceridade do mundo - se não fizer efeito nenhum, é bem possível que eu jogue tudo pro alto. Bem possível.

sábado, 10 de setembro de 2011

É pecado ser gorda?

Então, lá estava eu no salão de beleza, esperando pacientemente minha vez de ser atendida. Comecei a folhear uma dessas revistas de fofoca e me chamou a atenção uma entrevista com uma dessas atrizes novinhas da Globo. Ela dizia, bem na capa, que era muito gorda na adolescência, e que só agora estava feliz com seu corpo.
Quando eu li essas duas palavrinhas, muito gorda, logo imaginei que ela pesasse cerca de 80 ou 90Kg. Mas, para minha surpresa, a declaração da atriz foi mais ou menos a seguinte: "durante a minha adolescência, eu era muito gorda; pesava 60kg com 1,60 de altura. Agora, com 10 quilos a menos, estou feliz com meu corpo".
Hein? Como assim? Eu, que tenho exatos 1,60, fiquei estarrecida. Sessenta quilos é o meu peso dos sonhos, lembro que me sentia maravilhosa quando tinha esse peso. Aí me vem uma atriz da Globo dizer que quem pesa 60kg é muito gorda. Será? Certas opiniões, como essa, me entristecem profundamente. Estamos buscando um padrão que é praticamente inalcansável para algumas de nós e, como se a batalha já não fosse muito difícil, algumas pessoas, com seus comentários infelizes, pioram ainda mais a coisa. Lamentável.

Ps - Ana Maria, querida, você é exuberante com seus 60kg. Sério. :)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Nunca foi tão difícil

Essa aí ao lado sou eu, no sábado passado. Estava felicíssima por ter conseguido mais uma semana sem sair da dieta. Até coloquei um vestidinho mais justo. Fomos ao cinema e - acreditem! - eu não comi pipoca nem pedi refrigerante. Fui de sanduíche natural e suco de laranja (que aliás, estou me esforçando em reduzir, pois engorda pra caramba).
Até aí, tudo bem. O problema foi o domingo. Fomos a praia, onde a coisa complicou. Comecei bem, pedindo água de coco, mas não resisti ao camarão e ao peixe frito... o pior é que, quando você começa a comer, é difícil parar. Não foi um dia horrível, cheio de comilanças, mas eu senti, literalmente, o peso dessa minha escolha na segunda feira.
Meu peso essa semana: 80,7kg





Dia seguinte, dia de pesagem. Eu já sabia que o resultado ia ser ruim. Bem, nem foi tanto, tendo em vista que emagreci, só não o tanto que gostaria. Detesto estar pesando oitenta quilos de novo, perder peso está ficando cada vez mais difícil pra mim. Sinto que meus esforços demoram pra me mostrar alguma recompensa, e que qualquer deslize é fatal. De domingo pra cá, não tenho mais sido tão impecável quanto estava sendo. Ok, não estou me afogando em chocolate e sorvete, mas estou me permitindo algumas coisas que não deveria. Só para citar um exemplo, ontem, feriado, fomos almoçar fora e eu acabei não resistindo a comer doce de leite de sobremesa e, à noite, meu marido me trouxe um casadinho, que é minha perdição. Comi e não fiz ginástica, estou preguiçosa porque estou com dores de garganta. Que é que está acontecendo comigo, meu Deus? Eu não era assim. Costumava lutar pelo que queria e não desistia tão fácil. O jeito é deixar esses dias fatídicos para trás e começar tudo de novo. Nem vou esperar pela segunda feira, hoje mesmo já reduzi minhas quantidades e vou começar a adotar alguns hábitos novos, conto pra vocês mais tarde quais serão. Agora eu vou dar um pulinho no salão pra ver se a minha auto estima volta pro lugar. Bjos a todos.