terça-feira, 25 de outubro de 2011

78kg de pura felicidade

Estou pensando em deletar o blog. Comecei assim, curta e grossa, porque não há maneira melhor de dar uma notícia como essa. Além disso, creio que ninguém irá se importar muito com a ausência deste humilde espaço. Na verdade, o fato de eu avisar minhas pretensões de deletar o blog serve mais para mim, afim de que eu perceba que mais um ciclo da minha vida chegou ao fim, do que pra vocês, leitores esporádicos.
A verdade é que talvez eu nunca chegue a ser o que gostaria. Não sei, talvez pesar 50 quilos não seja o meu destino. Essa é a única explicação. Não importa o que eu faço, eu sempre recaio nos mesmos erros. É, a culpa é totalmente minha. Não vou jogar minha culpa em cima de ninguém. Eu é que sou fraca e acabo desistindo no meio do caminho porque me é conveniente, ou porque eu sempre posso começar de novo amanhã.
O fato é que, nesse meio tempo todo em que eu esperava chegar aos 50 quilos, a minha vida passava. Eu conheci pessoas, me apaixonei, me formei, perdi meu pai, passei em concursos, comecei a trabalhar, comprei minha casa, casei. Ou seja, enquanto esperava, eu vivi. Não deixei de conquistar nada porque não pesava 50 quilos, não deixei de receber elogios, não deixei de amar e ser amada. Na verdade, era algo que só eu buscava, para minha própria satisfação. 
O blog me ajudou de muitas formas. Fez com que eu encontrasse muitas pessoas com problemas e interesses iguais aos meus. Mas não foi bem o que eu esperava. Afinal, foram várias tentativas frustradas de postar pesagens, alimentação do dia, que desandavam uma hora ou outra e eu tinha que recomeçar, morrendo de vergonha de dizer que tinha fracassado.
Mas agora, meu momento é outro. Estou me sentindo bem comigo mesma, do alto de meus 78 quilos recém recuperados. Graças a Deus, tenho muitos amigos e muita gente me ama, por isso estou sempre sendo convidada para casamentos, aniversários, confraternizações, happy hours. E eu decidi que não vou mais me isolar do mundo pra emagrecer. Não adianta eu ficar sozinha em casa contando minhas costelas. Quero mais é viver, sair, conhecer gente nova, dançar, me divertir.Se eu emagrecer, ótimo. Se não, paciência. A partir de hoje, meu peso não me controla mais. Nem muito menos eu o controlarei. Vamos viver em paz um com o outro, como um casal que está separado mas vive junto por causa dos filhos. A gente não precisa se amar, mas deve se respeitar. E eu confesso que não amo, mas aprendi a respeitar quem sou hoje.

É isso. Até a próxima. Ou não.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Um dia é da caça...

Praticamente um mês sem postar, nossa! Reconheço que ando mesmo meio preguiçosa esses dias, alternando dias de vitória e outros de fracasso. Naquela montanha russa de sempre. A boa notícia é que realmente não pesei mais oitenta quilos, e espero nunca mais subir na balança e ver esse número horroroso. A má notícia é que passei o fim de semana comendo de tudo e, o que é pior, não estou fazendo atividade física. Andei meio gripada, com muita dor de garganta e, para completar, voltei a trabalhar - acabei me acomodando um pouco. Normal. Não vou ficar me lamentando por isso, não. Continuo aqui, na batalha, tentando me reajustar, não desisti ainda.  Pode deixar que darei notícias.